capacivilizacaoeoutroscontosm

Civilização e outros contos
(sob consulta de disponibilidade)
Autor: 
Formato: Impresso
Faixa etária: A partir de 15 anos
Trabalho interdisciplinar: Português
Indicação: 1º Ano (EM), 2º Ano (EM), 3º Ano (EM)
Área: Ficção
Assunto: EJA
Temas contemporâneos: Ética
Dimensões do produto: 14 x 21
Número de páginas: 96
ISBN: 851603982X
Código do produto: 12039820

Leitura indicada para:

Moderna Plus 2016

Disciplina: Literatura (Moderna Plus 2016)

Volume/Ano: Volume Único

Unidade/Capítulo: Capítulo 19

Preço sugerido: R$ 37,00
Mudar o tamanho da letra  
 
 Sobre o livro

A obra apresenta sete contos de Eça de Queirós, que deixou apenas uma coletânea de contos, publicada postumamente, em 1902. Alguns outros contos, junto com artigos e folhetins, foram também publicados depois de sua morte, em 1903, num volume intitulado Prosas Bárbaras. Deste livro, que reúne textos da fase inicial da carreira literária de Eça de Queirós, foi selecionado o conto "Entre a neve". Os demais foram extraídos da coletânea de 1902. Os contos apresentam grande variedade temática, exemplificando as diversas preocupações do autor ao longo de sua vida literária. Assim, temos o conto "O tesouro", de inspiração medieval, em que não falta o gosto pelo desenlace trágico. Na linha acentuadamente naturalista, temos "No moinho". O famoso conto "Suave milagre" é quase um poema em prosa e, por trás da narração de um milagre de Jesus, que socorre uma criança miserável, pode-se perceber a visão crítica de Eça sobre a Igreja Católica, preocupada com os poderosos e esquecida dos pobres e humildes. Em "Entre a neve", por outro lado, do céu indiferente cai uma nevasca que destrói o homem. O conto "Civilização", que, mais tarde, ampliado, dará origem ao romance A cidade e as serras, tematiza, com toques satíricos, a oposição vida urbana/vida rural. Os dois outros textos, "Singularidades de uma rapariga loura" e "José Matias" trazem uma fina análise psicológica e social.

Sobre o autor
Eça de Queiros
Nasceu em Portugal, em 1845, e faleceu em Paris, em 1900. É o mais importante escritor português do século XIX. Deixou uma vasta obra, que inclui relatos de viagem, crônicas, ensaios, contos, mas foi como romancista que deixou seu nome na história da literatura. É com ele que tem início, didaticamente falando, o movimento realista em Portugal.
Você pode se interessar por:
 
 
 
 
© Editora Moderna 2013. Todos os direitos reservados.