memorias.jpg

Memórias póstumas de Brás Cubas
Autor: 
Edição: 5ª Edição
Formato: Impresso
Faixa etária: A partir de 15 anos
Trabalho interdisciplinar: Português
Indicação: 1º Ano (EM), 2º Ano (EM), 3º Ano (EM)
Área: Ficção
Temas contemporâneos: Ética
Dimensões do produto: 16 x 23 x 1,4
Número de páginas: 240
ISBN: 9788516096922

Leitura indicada para:

Moderna Plus 2016

Disciplina: Literatura (Moderna Plus 2016)

Volume/Ano: Volume Único

Unidade/Capítulo: Capítulo 19

Vereda Digital

Disciplina: Gramática (Vereda Digital 2018)

Volume/Ano: Volume Único

Unidade/Capítulo: Capítulo 07

Disciplina: Literatura (Vereda Digital 2018)

Volume/Ano: Volume Único

Unidade/Capítulo: Capítulo 15

Preço sugerido: R$ 32,00
Mudar o tamanho da letra  
 
 Sobre o livro

Esse romance, publicado em 1881, marca o início do Realismo no Brasil. Em vez de oferecer uma trama cheia de peripécias e lances de suspense e emoção, como faziam os outros escritores da época, Machado apresenta uma história lenta, repleta de digressões e narrada de maneira irreverente e irônica por um "defunto autor". Todo escrito em capítulos curtos, o romance começa com Brás Cubas, o narrador, contando a própria morte; depois, em retrospectiva, ele vai narrando os momentos principais de sua vida. Recorda sua paixão juvenil pela prostituta Marcela, que o amou "durante quinze meses e onze contos de réis". O pai, assustado com as despesas do filho, decide separá-lo de Marcela e o envia a Portugal, para terminar os estudos. Brás volta doutor e logo se envolve com Virgília. Mas o namoro não o entusiasma e ela acaba se casando com Lobo Neves. Brás fica solteiro e, anos depois, reencontra Virgília e se tornam amantes. Esse amor clandestino termina quando Lobo Neves é transferido do Rio de Janeiro. Depois de um tempo, quando o casal retorna, Brás e Virgília não reatam seu relacionamento amoroso. Brás não tem um projeto definido para sua vida. Muito rico, não precisa trabalhar, e vai vivendo ao sabor das circunstâncias, desiludindo seu pai, que morre sem vê-lo brilhar na vida. Brás faz amizade com um sujeito metido a filósofo chamado Quincas Borba, que mais tarde acaba enlouquecendo. Aos sessenta e quatro anos, Brás Cubas pega uma pneumonia e morre.

Sobre o autor
Machado de Assis
Nascido no Rio de Janeiro, Machado de Assis (1839-1908) é considerado o mais importante contista do século XIX. Trabalhou na Imprensa Nacional como aprendiz de tipógrafo. Foi revisor e escreveu para jornais e revistas cariocas (contos, crônicas e críticas), mantendo essa atividade até o final da vida. Com a publicação de Memórias póstumas de Brás Cubas, marcou-se o início da fase mais realista de sua obra.
Douglas Tufano
Douglas Tufano nasceu em São Paulo. É formado em Letras e Pedagogia pela USP. Foi professor efetivo da rede oficial de ensino de São Paulo e trabalhou também em escolas particulares, tendo lecionado Português, Literatura Brasileira e História da Arte. Atualmente, ministra cursos de capacitação para professores de todo o Brasil a convite de Secretarias de Educação e instituições particulares de ensino. É autor de vários livros didáticos e paradidáticos, publicados pela Editora Moderna.
Você pode se interessar por:
 
 
 
 
© Editora Moderna 2013. Todos os direitos reservados.